Certas Palavras

Livros, línguas e outras viagens

A liberdade de expressão é feia

IMG_1221

Há pessoas um pouco incomodadas por serem chamadas a defender um jornal de que não gostam, que faz caricaturas que alguns consideram de mau gosto, como se isso fosse crime suficiente para justificar — ou, pelo menos, relativizar — a morte a sangue frio.

Ora, aqui está um ponto de que poucos se lembram quando falamos de liberdade de expressão: a liberdade de expressão é feia.

Se este direito servisse apenas para proteger o que é bonito, não serviria para nada. Sim, todos temos a liberdade de expressar opiniões parvas, de difundir ideias erradas, de desenhar cartoons provocadores, de criar programas de televisão desinteressantes e de debater ideias sagradas.

É nisso que consiste essa liberdade de expressão.

Então, mas porque dar esta importância a um direito aparentemente tão rasteiro? É óbvio que há ideias melhores do que outras. Por que razão temos de aceitar a divulgação de ideias obviamente erradas — algumas delas francamente perigosas?

Para começar, pensemos: se alguma ideia é obviamente errada, porquê proibi-la? Depois, a proibição pode ser contraproducente. Se alguém souber que existe uma ideia que ninguém pode discutir, ficará tentado a pensar que a ideia até é capaz de ser boa — afinal, não bastou apresentar argumentos, foi preciso proibi-la. Por fim, nunca sabemos se no conjunto daquelas ideias que achamos erradas não estará uma ideia que, bem vistas as coisas, até é acertada.

Seja como for, não é só para defender a liberdade de expressão que é preciso defender o Charlie Hebdo: mesmo se achássemos que a publicação ultrapassou um qualquer limite (e duvido muito), o desrespeito por esses limites nunca seria justificação para matar alguém.

Sim, a liberdade de expressão é feia. Por isso, limitá-la é uma tentação que precisamos de combater todos os dias.

O meu livro mais recente é A Baleia Que Engoliu Um Espanhol (Guerra & Paz, 2017). Saiba mais nesta página.

Anterior

Contra as certezas, blogar, blogar

Próximo

Cinco razões para gostar de livros

1 Comentário

  1. Jean

    Seu texto foi muito bom, quando li o título até pensei que era uma defesa maluca de uma algum tipo de censura, mas mesmo assim li e gostei.

    Eu também costumo escrever sobre livre expressão no meu blogue, eis minha postagem mais pocadona ^^

    http://mentejearnica.blogspot.com/2015/10/liberdade-de-expressao-ou-direito.html

Deixe uma resposta

Powered by WordPress & Autor do grafismo: Anders Norén

By continuing to use the site, you agree to the use of cookies. more information

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close