196H (2)

Um português atrás dum teclado sofre tal transformação que apenas conseguimos encontrar algo parecido quando pomos o mesmo português atrás dum volante.

Que ninguém se julgue imune ao efeito: esta metamorfose pode acontecer com qualquer um de nós. Tal como na estrada, às vezes, o mais pacato dos cidadãos transforma-se num rufia dos antigos quando se vê com um teclado nas mãos e a possibilidade de comentar alguma coisa.

Também não julguem que este é um problema esclusivamente nacional: este mau comportamento online parece ir beber muito fundo na natureza humana…

Ora, como evitar ser uma besta quadrada quando estamos a comentar alguma coisa na Internet? Podemos tentar seguir estas três sugestões:

  1. Ler os artigos que comentamos. É muito habitual encontrarmos comentários que só podem ter sido escritos por quem não leu o artigo que está a comentar. Talvez este fenómeno seja a continuação da veneranda tradição de falarmos de livros que não lemos — mas é também a origem de muitos comentários cheios de indignação por algo que o autor não disse: o comentador lê o título a correr e chega a conclusões muito distantes do que o autor queria dizer.
  2. Contar até dez antes de comentar seja o que for. Será que temos mesmo de responder de imediato? Se esperarmos algum tempo, talvez consigamos ler o artigo que vamos comentar com outros olhos e outra calma. Ninguém nos garante que a primeira leitura, a quente, não esteja errada ou, pelo menos, incompleta. No final desses dez segundos, podemos ainda decidir se não será melhor discutir a questão por email ou mensagem privada. Assim, não transformamos os comentários numa guerra de galos, muito pública, em que ninguém quer perder a face.
  3. Imaginar que estamos a falar pessoalmente com autor do artigo que queremos comentar. Afinal, todos nós estamos habituados a discordar em conversas de café ou com amigos. Raramente essas conversas se transformam nas guerras de insultos que vemos todos os dias na Internet. Porquê? Porque sabemos discutir com algum tacto. O simples facto de imaginarmos o autor do artigo à nossa frente e pensarmos na forma como diríamos de viva voz o que temos para dizer ajuda-nos a diminuir o grau de agressividade dos nossos comentários.

Por último, um conselho extra: não devemos usar MAIÚSCULAS nem pontos de exclamação em excesso!!!!! Mesmo que tenhamos toda a razão do mundo, as maiúsculas e os pontos de exclamação significam apenas que estamos a tentar gritar com o autor do artigo — aliás, podíamos abolir completamente o uso online do ponto de exclamação que não viria grande mal ao mundo. Afinal, em qualquer discussão, quem grita mais alto não tem mais razão. É apenas mais desagradável.