Certas Palavras

Livros, línguas e outras viagens

História Secreta da Língua Portuguesa

Capítulo 3. A moura linda de morrer e a língua de Afonso Henriques

Castelo_dos_mouros_1920_1200

Se a beleza de Helena lançou mil navios ao mar — dizem — porque não admitir que a beleza de uma moura quase deitou por terra a criação de Portugal?

E, já agora, aproveitamos para saber que língua se falava nos dois lados da Batalha de São Mamede — aquela que a história apressada que temos na cabeça resume como o dia em que Afonso Henriques bateu na mãe…

O mensageiro do rei que ainda não é rei

Ora, olhemos para Rui Contreiras, mensageiro dum certo conde, que cavalga para sul, depois de sair, nessa manhã, de Guimarães.

De que conde estamos a falar? À maneira dos visigodos, o nome é Afonso Henriques, ou seja, Afonso, filho de Henrique.

O que ele tem para fazer é encontrar Fuas Martinho, amigo de Afonso, que anda perdido por terras mouras à procura não se sabe bem do quê…

LEIA O RESTO DA HISTÓRIA NO LIVRO
A INCRÍVEL HISTÓRIA SECRETA DA LÍNGUA PORTUGUESA.

O meu livro mais recente é A Baleia Que Engoliu Um Espanhol (Guerra & Paz, 2017). Sou ainda autor de A Incrível História Secreta da Língua Portuguesa e Doze Segredos da Língua Portuguesa. Saiba mais nesta página.

Anterior

Lemos mais, mas pior?

Próximo

«Obrigada» e «copo de água»: erros de português?

3 Comentários

  1. Paulo

    Após três episódios a coisa já se lê como se de um livro se tratasse.
    Parabéns e continua.

  2. MrKarvalhovsky

    Genial.
    Embora não seja a minha área de formação, interesso-me bastante por história e línguas.
    Acabei de conhecer o blogue e fiquei fã. Foi com grande entusiasmo que li estes 3 episódios!
    Fico ansiosamente à espera dos próximos capítulos…

    Perdoe-me só o bairrismo, mas enquanto Vimaranense, gostaria apenas de enfatizar que a Citânia de Briteiros é um sitio arqueológico que fica situado na actual cidade de Guimarães e não apenas num local qualquer nos arredores de braga… 🙂

    Mais uma vez, os meus Parabéns pelos textos.
    Muito bom mesmo!

    • Marco Neves

      Ah, muito obrigado pelo reparo quanto à Citânia de Briteiros. Hei-de tentar incluir a referência num próximo capítulo 😉

Deixe uma resposta

Powered by WordPress & Autor do grafismo: Anders Norén

By continuing to use the site, you agree to the use of cookies. more information

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close