Certas Palavras

Blogue de Marco Neves

A língua gestual portuguesa é uma língua a sério?

grammar

Há pouco, pelo Facebook, encontrei quem perguntasse «a libras é uma língua a sério?».

Ora, o que é a libras? É a língua brasileira de sinais. «Língua de sinais» é a expressão brasileira para o que nós chamamos por cá de «língua gestual».

Houve logo alguém que disse: «Não,  não. Não é uma língua! É uma linguagem.» (Não sei bem o que queria ele dizer com isto…)

A outra pessoa ficou mais descansada, até ao momento em que me meti na conversa e disse que, na verdade, a língua brasileira de sinais e, por cá, a língua gestual portuguesa são línguas mesmo a sério. São manifestações da linguagem humana tal como o português, o inglês e todas as outras línguas que conhecemos.

dicionario

Senão, vejamos:

  • As línguas gestuais têm gramática própria. Têm sujeitos, predicados, verbos, complementos e tudo o mais que conhecemos das gramáticas das línguas orais. Têm também dicionários e gramáticas, claro está.
  • As línguas gestuais não são meras transposições das línguas orais que se falam em cada país. Assim, a língua gestual portuguesa está mais próxima da língua gestual da Suécia do que da língua gestual brasileira. É estranho, mas é assim. A gramática da língua gestual portuguesa não é baseada na gramática do português.
  • Podemos criar frases de forma criativa e até, claro, criar poesia. É uma língua! Podemos fazer literatura com ela. Podemos dar instruções. Podemos seduzir e insultar. Podemos até usar uns quantos palavrões!
  • Há quem use estas línguas melhor ou pior. Há quem seja mais desenvolto a falar (neste caso, a usar os gestos) e quem seja um pouco trapalhão. Tudo como no caso das línguas orais.
  • Há variação regional e social e há uma norma-padrão.
  • Há mudança ao longo do tempo, tal como acontece nas línguas orais.
  • São línguas que podem ser reconhecidas oficialmente ou ignoradas por muitos — o que também acontece com as línguas orais.
  • Quem aprende a língua gestual portuguesa em adulto pode usá-la «com sotaque», ou seja, nunca conseguir ser fluente na língua como os nativos, ou seja, quem a aprende desde criança. E, reparem: é uma língua que é tão difícil de aprender para um português como para um inglês — isto porque não é baseada no português.

Em resumo: a língua gestual portuguesa é uma língua. Está até reconhecida na nossa constituição. É pouco conhecida e há quem ache que é uma simples «linguagem», como a «linguagem dos pp» ou algo assim, mas, na verdade — e repito — é mesmo uma língua a sério.

Anterior

Por que razão o galego é invisível para os portugueses?

Próximo

História dum desaguisado luso-brasileiro: quem manda no texto é o leitor?

3 Comments

  1. Paulo

    Já agora, uma questão mais importante que a discussão ‘metafísica’ de ser ou não uma lingua:

    Não teria sido possível uma uniformização/criação de uma lingua gestual única?
    É que tenho a impressão que mesmo nos países que partilham a mesma lingua ‘falada’ não partilham a ‘lingua gestual’.

    • Marco Neves

      Não partilham mesmo. A língua gestual portuguesa e a língua gestual brasileira são muito diferentes. A língua gestual portuguesa está mais próxima da sueca, a brasileira está mais próxima da francesa. No entanto, a situação é igual às línguas orais: é praticamente impossível convencer uma comunidade a abandonar uma língua para passar a falar outra.

    • Rui Pinheiro

      Existem os International Signs que são usados a nível internacional, mas não são uma língua e não costumam ser usados entre surdos que partilhem uma língua gestual. Tal como existe o Esperanto, que no entanto é preterido a favor do inglês.

Deixe uma resposta

Powered by WordPress & Theme by Anders Norén

Ao continuar a usar este website, autoriza a utilização de "cookies". mais informação

As definições de "cookies" neste website permitem a utilização de "cookies" para oferecer ao leitor a melhor experiência possível. Se continuar a usar este website sem alterar as definições de "cookies" ou se clicar em "Aceitar" está a autorizar o uso de "cookies".

Fechar