Certas Palavras

Livros, línguas e outras viagens

A língua gestual portuguesa é uma língua a sério?

grammar

Há pouco, pelo Facebook, encontrei quem perguntasse «a libras é uma língua a sério?».

Ora, o que é a libras? É a língua brasileira de sinais. «Língua de sinais» é a expressão brasileira para o que nós chamamos por cá de «língua gestual».

Houve logo alguém que disse: «Não,  não. Não é uma língua! É uma linguagem.» (Não sei bem o que queria ele dizer com isto…)

A outra pessoa ficou mais descansada, até ao momento em que me meti na conversa e disse que, na verdade, a língua brasileira de sinais e, por cá, a língua gestual portuguesa são línguas mesmo a sério. São manifestações da linguagem humana tal como o português, o inglês e todas as outras línguas que conhecemos.

Senão, vejamos:

  • dicionarioAs línguas gestuais têm gramática própria. Têm sujeitos, predicados, verbos, complementos e tudo o mais que conhecemos das gramáticas das línguas orais. Têm também dicionários e gramáticas, claro está.
  • As línguas gestuais não são meras transposições das línguas orais que se falam em cada país. Assim, a língua gestual portuguesa está mais próxima da língua gestual da Suécia do que da língua gestual brasileira. É estranho, mas é assim. A gramática da língua gestual portuguesa não é baseada na gramática do português.
  • Podemos criar frases de forma criativa e até, claro, criar poesia. É uma língua! Podemos fazer literatura com ela. Podemos dar instruções. Podemos seduzir e insultar. Podemos até usar uns quantos palavrões!
  • Há quem use estas línguas melhor ou pior. Há quem seja mais desenvolto a falar (neste caso, a usar os gestos) e quem seja um pouco trapalhão. Tudo como no caso das línguas orais.
  • Há variação regional e social e há uma norma-padrão.
  • Há mudança ao longo do tempo, tal como acontece nas línguas orais.
  • São línguas que podem ser reconhecidas oficialmente ou ignoradas por muitos — o que também acontece com as línguas orais.
  • Quem aprende a língua gestual portuguesa em adulto pode usá-la «com sotaque», ou seja, nunca conseguir ser fluente na língua como os nativos, ou seja, quem a aprende desde criança. E, reparem: é uma língua que é tão difícil de aprender para um português como para um inglês — isto porque não é baseada no português.

Em resumo: a língua gestual portuguesa é uma língua. Está até reconhecida na nossa constituição. É pouco conhecida e há quem ache que é uma simples «linguagem», como a «linguagem dos pp» ou algo assim, mas, na verdade — e repito — é mesmo uma língua a sério.

O meu livro mais recente é A Baleia Que Engoliu Um Espanhol (Guerra & Paz, 2017). Sou ainda autor de A Incrível História Secreta da Língua Portuguesa e Doze Segredos da Língua Portuguesa. Saiba mais nesta página.

Anterior

Por que razão o galego é invisível para os portugueses?

Próximo

História dum desaguisado luso-brasileiro: quem manda no texto é o leitor?

3 Comentários

  1. Paulo

    Já agora, uma questão mais importante que a discussão ‘metafísica’ de ser ou não uma lingua:

    Não teria sido possível uma uniformização/criação de uma lingua gestual única?
    É que tenho a impressão que mesmo nos países que partilham a mesma lingua ‘falada’ não partilham a ‘lingua gestual’.

    • Marco Neves

      Não partilham mesmo. A língua gestual portuguesa e a língua gestual brasileira são muito diferentes. A língua gestual portuguesa está mais próxima da sueca, a brasileira está mais próxima da francesa. No entanto, a situação é igual às línguas orais: é praticamente impossível convencer uma comunidade a abandonar uma língua para passar a falar outra.

    • Rui Pinheiro

      Existem os International Signs que são usados a nível internacional, mas não são uma língua e não costumam ser usados entre surdos que partilhem uma língua gestual. Tal como existe o Esperanto, que no entanto é preterido a favor do inglês.

Deixe uma resposta

Powered by WordPress & Autor do grafismo: Anders Norén

By continuing to use the site, you agree to the use of cookies. more information

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close