Certas Palavras

Línguas, livros e outras viagens

O mundo das línguas das estradas de Espanha

ABC DE AGOSTO: Alicante / Alacant

Alicante ou Alacant?

Não, este Agosto não fui a Alicante nem comprei torrões. Mas passei por placas com o nome dessa cidade. Aliás, com os nomes dessa cidade: Alicante e Alacant.

Fico sempre deliciado com aquilo que se esconde nas placas das estradas espanholas. Ora, claro, a maior parte das pessoas passa por elas como…

ibiza-986551_640

Playa, platja ou algo assim.

Ora, como o quê? Enfim, fiquemo-nos pela verdade: como turistas a caminho da praia.

Mas eu tenho esta inclinação estranha e reparo. Reparo que há regiões onde os nomes das terras são em duplicado.

Não é o caso da Catalunha, por exemplo, onde os nomes das terras já só aparecem em catalão nas placas da estrada. Na Galiza, também os nomes galegos dominam (e bem). Em Madrid e nos imensos arredores castelhanos, tudo em glorioso castelhano, por suposto.

Mas há sítios onde se duplicam, sim — por exemplo, no País Basco ou em Valência, onde muitas terras têm dois nomes. Para complicar, isto não acontece em todas as partes dessas comunidades autónomas. Em Valência, por exemplo, há zonas que usam as duas línguas, outras que apenas usam o castelhano. Alicante tem mesmo dois nomes. Em castelhano é Alicante, em valenciano é Alacant — e assim vemos em muitas placas: «Alicante / Alacant». A vida é complicada — e a Espanha ainda é mais.

Pois aqui fica um pequeno guia para quem quer ver um pouco do mundo das línguas nas estradas de Espanha.

Guia rápido das línguas nas estradas de Espanha

  • Catalunha. Os nomes das terras são exclusivamente em catalão. Assim, nada de «Lérida» — o nome oficial é o catalão «Lleida». Isto em toda a Catalunha. Já as indicações nas placas tendem a ser bilingues: «port» e «puerto», por exemplo — ou «sortida» e «salida». Por vezes, aparecem numa placa em espanhol e na seguinte em catalão — há meses, ao passar numa auto-estrada catalã, lembro-me de ter visto uma placa a anunciar a próxima «sortida» e logo a seguir outra a anunciar a próxima «salida». Haverá ainda diferenças entre as estradas do Estado espanhol e as estradas mantidas pela governo da Catalunha. (Já agora, que falamos no assunto, reparem no tipo de letra das placas: tende a ser ligeiramente diferente do usado no resto de Espanha. São as marcas de identidade nos pormenores…)
  • Galiza. A toponímia é já exclusivamente galega e por isso o nome daquilo que os portugueses, teimosamente, chamam «La Coruña» é mesmo, oficialmente, «A Coruña». Notem aqueles que por lá se atreverem as placas que anunciam a «Red de Carreteras del Estado» e, logo por baixo, «Rede de Estradas do Estado». Sim, assim mesmo, em port… galego!
  • PASSEIG MARÍTIMBaleares. Nunca lá fui (mas gostava). Andei agora uns dois minutos (não tenho tempo para mais) a visitá-las através do Street View para ver placas da estrada (sim, há cada maluco neste mundo…). Tentei, mas não encontrei nenhuma em espanhol. Só setas a indicar o «port» para ali, «Eivissa» para acolá. Ibiza?
    Isso nas estradas não existe. (E ainda há quem passe por lá e nem repare. IBIZAMas por lá tem explicação: são bebedeiras, senhor!)
  • Valência. Ah, a complexidade tremenda da situação linguística de Valência! É capaz de deixar um linguista acordado toda a noite. Por lá, falam-se várias formas daquilo que nós por cá chamamos catalão. Mas na região a língua chama-se «valenciano», que é a forma tradicional e histórica — e a única oficial. Os catalães aceitam bem esse facto, mas já não aceitam assim tão bem que alguns valencianos insistam que valenciano e catalão são duas línguas separadas. Enfim, já li textos tanto em valenciano e em catalão e parecem-me a mesma língua, mas quem sou eu? Não deixa de haver diferenças: a «sortida» catalã em terras do sul é «eixida» em Valência (é um exemplo). ELXELCHEA própria conjugação verbal tem as suas particularidades — mas isso acontece em tantas outras línguas, não é verdade?. Enfim, aceitar ou não a unidade da língua catalã/valenciana é uma questão política (e não serão todas estas questões essencialmente políticas?). Nas estradas (que é o que me interessa hoje) vemos algumas terras exclusivamente em castelhano (Torrevieja, por exemplo), outras exclusivamente em valenciano e ainda terras com dupla personalidade, bem espelhada nas placas. E repare ainda quem estiver com paciência para isso: em certos sítios (que não nas auto-estradas, claro) as placas em espanhol estão corrigidas à mão. Por exemplo, cheguei a ver a placa a dizer «Crevillente» com o último «e» riscado. Para mudar a língua ao nome, entenda-se. (Esse fenómeno de correcção de placas vê-se em muitos outros sítios.)
  • DONOSTIAPaís Basco. Ah, este tema merecia um artigo inteiro, não é? As localidades bascas podem ter um nome único ou então um nome duplo. O mais conhecido será Donostia / San Sebastián. Até há pouco tempo, o nome oficial era Donostia-San Sebastián — assim, com hífen. O nome oficial era sempre assim, em qualquer uma das línguas. Em 2012, o nome mudou para a versão com barra, indicando que podemos usar uma versão ou outra dependendo da língua do texto. «Donostia», diga-se, é São Sebastião em basco. PONTENas placas da estrada ainda aparece o hífen. Estas complicações multiplicam-se pelas terras bascas.
  • Navarra. Em Navarra, temos algo parecido com Valência: zonas bilingues e outras monolingues. Uma complicação… Mas terá mesmo que ficar para outro dia, que a água chama por mim!

PLATJAE como chama por mim, para terminar, aqui fica como se diz «praia» em catalão. Ou, aliás, em valenciano…

 

Anterior

Dez dicas para usar bem a pontuação no Facebook

Próximo

As quatro línguas de Espanha

1 Comentário

  1. O “valenciano” nom é predominante em toda Valência (https://es.wikipedia.org/wiki/Valenciano#Distribuci.C3.B3n_geogr.C3.A1fica).
    O mesmo passa em Navarra (https://es.wikipedia.org/wiki/Navarra#Lenguas).
    E tamém co aragonês, que nom o mencionache (https://es.wikipedia.org/wiki/Idioma_aragon%C3%A9s).

Deixar uma resposta

Powered by WordPress & Autor do grafismo: Anders Norén

By continuing to use the site, you agree to the use of cookies. more information

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close