Andamos todos enervados com gralhas nos jornais quando os erros mais graves são outros. Há pouco, por exemplo, encontrei este título no DN online: «Desde 1971 que não havia tanto crime nos EUA».  Um título que, como poucos, engana o leitor… É falso. A própria notícia desmente o título!

Sabendo eu que as estatísticas do crime nos EUA não dizem nada disso, fui ler. E o que se passa é isto: há um aumento do crime e esse aumento é o maior desde 1971. Mas os números do crime não só não estão minimamente perto dos números de 1971 como são mais baixos do que, por exemplo, em 2008. Os EUA têm hoje níveis de violência historicamente baixos. Exactamente o contrário do que o título da notícia diz.

Aqui fica, por exemplo, a evolução dos homicídios nos EUA nas últimas décadas:

homicidios

Então donde vem essa ideia de aumento? Ora, do pequeno aumento registado na linha vermelha neste gráfico:

murder-rate

Sim, o crime aumentou nos últimos dois anos, mas continua baixíssimo. E mais baixo do que durante as décadas que medeiam 1971 e a actualidade. Dizer que o crime está no nível mais elevado desde 1971 é um grande erro…

Olhem de novo para o último gráfico e percorram a linha com o dedo. A grande notícia — de que poucos falam — é esta diminuição estranhíssima do crime ao longo de décadas — e que levado a explicações muito originais por parte de quem estuda a questão (voltarei a isso um dia destes).

Mas, já sabemos, a narrativa habitual é a de que a violência está sempre a aumentar. É tão habitual que a pessoa que escreveu o título da notícia leu essa mesma notícia do DN de forma rápida e encaixou tudo aquilo na narrativa habitual (mas falsa) de que o crime está a aumentar. É um pouco estranho que quem escreveu o título não saiba destas estatísticas.

Quanto à pequena subida nos últimos dois anos, convém estar atento, claro. Crime é crime e deve ser combatido. Mas, nos EUA, o crime desceu tanto nas últimas décadas que é normal haver anos em que sobe de forma significativa — os números são baixos e qualquer flutuação é «um grande aumento». Haver uma notícia que fala desse aumento (real) transformando-o num mundo em que a violência nos EUA é hoje superior à dos anos 70 é um erro puro e duro — e um erro tão mais grave quanto alimenta certas narrativas bem perigosas. (Olhem de novo para o gráfico… Não é espantoso?)

Mesmo que tenha sido uma distracção de quem escreveu o título (estou certo que o foi), este tipo de erros pode deixar muitos leitores enganados durante muito tempo, porque muitos lêem apenas os títulos e ninguém vai ler a possível correcção… Ao pé disto, uma gralha não importa assim tanto.

Bem, acontece, não é? Não podemos evitar estes erros a 100%. O ideal mesmo é sermos todos leitores mais atentos, lermos as notícias na totalidade e ainda ter alguma curiosidade para olhar para os números e não embarcar em grandes certezas com base em ideias vagas. Ler mais, claro.

(Para quem estiver interessado, prometo isto: vou preparar uma lista de livros sobre esta diminuição do crime. É um assunto pouco conhecido, mas espantoso.)

[Antes de publicar este artigo, enviei mensagem ao jornal. Provavelmente, não terei sido o único. Felizmente, o DN corrigiu o título, o que muito agradeço. A notícia em si não sofreu qualquer correcção — porque sempre esteve correcta. Infelizmente, as partilhas de Facebook continuam com o título errado, mas quanto a isso há pouco a fazer.]